São as nossas escolhas que revelam o que realmente somos, muito mais do que as nossas qualidades.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Mudança(s)

Depois de um longo e tenebroso período de exclusão digital, estou de volta.
Dia 7 foi minha despedida no trabalho. Triste, triste, triste. Quase cinco anos e muitos amigos. Teve almoço, vídeo-foto, buquê de rosas... e é bom ser querida. Mas é ruim ir embora.
Dia 8, exatamente no dia em que completava um ano da minha mudança pro apartamento que a gente tinha comprado, voei pra SP. E mais despedida: de pai, de mãe, avó, avô, irmãos, afilhada... Como corta o coração...
But... o que não tem remédio remediado está.
Voo tranquilo, chegada nem tanto (depois que levamos uma multa na área do desembarque do aeroporto de Guarulhos agora toda vida é um estresse sem fim...).
Mas cheguei em casa e tava tudo lindo, cheiroso, arrumado (e o marido que arrumou, viu?). Mais flores e o amor é lindo mesmo depois de quase quatro anos de casamento.
E a delicadeza do meu amor aplacou um pouco a saudade.
E há aviões e telefone e internet e tudo mais...

---xxx---

Meus caros, volta-se porque se tem saudade
Porque se foi feliz intimamente
Volta-se porque se tocou num inocente
E porque se encontrou tranqüilidade

A despeito da vida que acorrente
Volta-se, volta-se para a sinceridade
Volta-se sempre, tarde ou de repente
Na alegria ou na infelicidade.

E nada como esse apelo da lembrança
Para se transfigurar numa esperança
Essa desolação que uma alma leve

Assim é que, partindo, eu vou levando
Toda a desolação de um até-quando
Num ardente desejo de até-breve.

Vinicius de Morais

2 comentários:

Dinoracomagánofim disse...

Lutty, bisbilhotando pela net encontrei seu blog - que é uma gracinha. Espero que sua mudança seja cheia de novidades boas.
Felicidades

Dinorah disse...

Amo Vinicius e este poema é lindo! Parabén pelo bom gosto.