São as nossas escolhas que revelam o que realmente somos, muito mais do que as nossas qualidades.

quarta-feira, 2 de março de 2011

1 ano sem refri

No dia 25 de fevereiro do ano passado, saiu o resultado do concurso do meu amado marido.

Acordei, assim como nos dias anteriores, com o barulho do estabilizador do computador. Imaginei que ele já estava sentado na cadeira, tentando ver se o resultado tinha saído no Diário Oficial da União daquele dia. "Saiu, amor!!!"

Dei um pulo da cama e corri pro gabinete - pausa dramática: ai que saudade do nosso apartamento... - Ele tava passando mal, mesmo. Coloquei a mão no peito dele e estava aos pulos, nunca tinha visto daquele jeito. Na primeira fase, ele tinha ficado entre as últimas vagas, não podia cair mais do que 15, 20 posições.

Mas quando a gente viu o resultado da 2ª fase lá estava ele, bem acima, tinha subido mais de 200 posições... Ai, foi um alívio e uma felicidade sem tamanho. Depois de tanto sacrifício, tanto tempo sem trabalhar, tantos estresses... Ele merecia! E eu também!

Mas enfim, o que o refrigerante tem a ver com tudo isso?

É que, se ele passasse, teríamos que cumprir algumas promessas que tínhamos feito a Nossa Senhora Aparecida. Uma delas era visitar a Basílica, em Aparecida do Norte, o que fizemos recentemente, quando os meus sogros vieram a Osacity, em dezembro. Olha a foto que tirei:

(essa é a imagem original de Nossa Senhora Aparecida, achada nas águas do Rio Paraíba)

E outra promessa, a que explica o título deste post, foi a de que ficaríamos um ano sem beber nenhum refrigerante. Nenhum mesmo. E aí entrava coca-cola, guaraná (até kuat, aquela porcaria), fanta uva, laranja, etc, e essas águas com corante, tipo H2O, Aquarius...
Dia 28 de fevereiro do ano passado fizemos a nossa despedida.
Um ano se passou e o dia da glória chegou:


Vale ressaltar que as coquinnhas estavam devidamente dormidas, ou seja, foram compradas com antecedência, e ficaram descansando em berço esplêndido, na geladeira, pra ficar no ponto.

Quando cheguei da aula fomos rezar o terço, pra agradecer esse ano MA-RA-VI-LHO-SO que Deus nos deu, com a intercessão de Nossa Senhora, e depois fomos nos preparar para esse momento de emoção.

Algumas pessoas me perguntaram por que eu não ficava logo sem beber de uma vez, já que tinha ficado um ano sem beber. Porque eu não quero, oras! E porque acho que, com moderação, não irá me fazer mal! Mal faz é cigarro, cachaça... E olha que uma das pessoas que me "aconselhou" a parar de beber refri bebe (bebiba alcóolica) quase todo dia.

Outra me disse que isso não era sacrifício, que sacrifício mesmo era juntar o dinheiro de todas as cocas que eu não tinha bebido e dar aos pobres. Acho sinceramente que todos devem fazer pelo menos um pouco de caridade, sim, mas não se deve sair por aí dizendo o que se faz ou se deixa de fazer.

Além disso, cada um sabe o que é sacrifício para si. Se pra mim sacrifício é passar um ano sem beber refrigerante, pra uma amiga minha sacrifício é passar um mês sem ir pra academia. Meu marido até cogitou incluir na promessa o chocolate, mas achou que seria forte demais e não aguentaria. Resolveu fazer só durante a páscoa. Quase morre. Já pra mim, não seria quase nenhum sacrifício. Enfim, não dá pra ficar medindo os outros com a própria régua.

Voltando à coquinha (é estranho escrever assim, mas não achei uma forma melhor), foi bom demais! Estava geladérrima! Só achamos um pouco doce. Impressionante como o paladar se acostuma. Já o guaraná e a coca-zero não achamos tanto.

O melhor de tudo é saber que o tempo passou e tudo deu certo, mesmo sendo os planos de Deus tão diferentes dos nossos.

5 comentários:

julianabraveza disse...

Lu, parabéns! Pra vc e pro Joao!
Olha, vc esta coberta de razao ao dizer q cada um é q sabe o q é melhor pra si. Eu podia muito bem aqui te mostrar as mil vantagens de nao beber refrigerante, mas seria ridiculo. Se vc gosta e quer, ninguém tem nada com isso, ora bolas!
Quando eu tinha uns 14 anos, sacrificio pra mim foi jogar fora 3 fotos do Leonardo Di Caprio, hehehe. Afinal, ele era meu idolo. Até minha vo achou aquilo bonito e disse: "Se vc gosta dele e esta fazendo isso, entao é sacrificio"
Se fosse hoje em dia, me livrar das fotos nao representaria absolutamente nada pra mim...
E é isso, cada um é dono da sua vida.
Parabéns mais uma vez!
Beijos!
Ju

Nova vida em Montréal disse...

Lu, parabéns! Pra vc e pro Joao!
Olha, vc esta coberta de razao ao dizer q cada um é q sabe o q é melhor pra si. Eu podia muito bem aqui te mostrar as mil vantagens de nao beber refrigerante, mas seria ridiculo. Se vc gosta e quer, ninguém tem nada com isso, ora bolas!
Quando eu tinha uns 14 anos, sacrificio pra mim foi jogar fora 3 fotos do Leonardo Di Caprio, hehehe. Afinal, ele era meu idolo. Até minha vo achou aquilo bonito e disse: "Se vc gosta dele e esta fazendo isso, entao é sacrificio"
Se fosse hoje em dia, me livrar das fotos nao representaria absolutamente nada pra mim...
E é isso, cada um é dono da sua vida.
Parabéns mais uma vez!
Beijos!
Ju

Anônimo disse...

Lu, eu passei 2 anos sem beber e tb senti a mesma coisa, demorei mais do q o que havia prometido pra voltar a beber, achei o maximo o gas batendo no meu nariz kkkkkkkkkkkkk
Quanto aos sacrifícios eu acho que vc falou mto bem sobre cada um saber o que é sacrifício para si!
Como sempre, muito coerente! Parabéns à vcs por essa conquista, beijão!!!

Dinorah disse...

Lutty,
Que maravilha! Maravilha pela aprovação de seu marido no concurso, pelo cumprimento de uma promessa - bem difícil esta. Parabéns pelo "foco" de vocês dois. Vocês vão longe!
Um beijo

Lucemary disse...

Lu, oi!
Primeiro, deixa eu dizer que amei o nome do seu blog. Também sou Lu, e quando criei meu primeiro blog quebrei a cachola pensando em algo original e não encontrei nada que eu gostasse muito, tudo o que eu gostava já tinha sido registrado... mas nunca tinha pensando neste, e vou te contar: amei!!! =)
Em segundo, conheci seu blog através de outro de uma amiga (ainda) virtual - estamos, eu e ela, num ano sabático, sem compras. Mas o que me chamou a atenção e que eu queria comentar é que eu também, em 96, fiquei um ano sem coca cola e chocolate. Por causa de um concurso que eu precisava muito passar, e fui agraciada com isto por Deus. Em troca, fiz jejum das duas coisas que eu mais gostava e das quais seria, pra mim, um grande sacrifício me abster. No dia em que acabou o compromisso (12/07/97) comprei uma coca de dois litros, um pedaço de torta PortoAlegre, um de torta de bolachinha, uma bomba de chocolate, todos na Jauense, a melhor confeitaria de Foz, e logo após o almoço, ainda no trabalho, me entreguei à gula. Não consegui comer e beber tudo, mas passei muito mal, acredite: acho que meu fígado surtou com tanto chocolate depois de tanto tempo!!! rssss... mas foi ótimo, e como você bem falou, cada um sabe do seu sacrifício. Pra mim acabou sendo ótimo!
=)
Grande abraço!